Artigos

Algarve tem seis restaurantes com estrelas Michelin e ganha uma nova distinção

A edição de 2021 do Guia Michelin confirma para o Algarve seis restaurantes com uma e duas estrelas, e distingue, pela primeira vez, o Check-in Faro na categoria “Bib Gourmand” pela ótima relação qualidade/preço.

O novo Guia Michelin para 2021, que chega hoje às bancas, foi apresentado ontem à noite, numa cerimónia transmitida de forma virtual a partir de Madrid (Espanha).

Na edição de 2021 do conceituado guia, a região do Algarve contabiliza seis restaurantes: o Ocean (Lagoa) e o Vila Joya (Albufeira), galardoados com duas estrelas (‘cozinha excecional, merece o desvio’); e o Bon Bon (Carvoeiro), o Gusto by Heinz Beck (Almancil), o Vista (Portimão) e o Vistas (Vila Nova de Cacela), distinguidos com uma estrela Michelin (‘cozinha de grande nível, compensa parar’). A novidade surge com o prémio “Bib Gourmand” atribuído ao Check-in Faro (‘ótima relação qualidade/preço’, vale a pena ir). Este junta-se ao restaurante Avenida (marina de Lagos), também incluído na mesma categoria.

João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve, congratula-se com as distinções do famoso guia, referindo que «o Algarve é sinónimo de boa gastronomia, pela forma ímpar como combina qualidade, variedade, tradição e criatividade, e privilegia a incorporação dos produtos típicos sazonais. Este é o contexto que encontramos no destino e é o que fica registado nesta nova edição do conceituado Guia Michelin, o qual ano após ano tem vindo a distinguir a excelência da cozinha algarvia».

«Este é também um importante reconhecimento à restauração algarvia, sobretudo no momento que estamos a atravessar. Os empresários e trabalhadores bem o merecem! O turismo gastronómico é um dos nossos produtos turísticos estratégicos, no qual vamos naturalmente continuar a apostar», conclui o responsável do turismo algarvio.

Algarve volta a ser o Melhor Destino de Praia na Europa em 2020

“Num ano tão atribulado como o de 2020, receber este prémio e continuar a merecer a preferência de viajantes de todo o mundo é um sinal de confiança no futuro.”

O Algarve foi, uma vez mais, distinguido como o “Melhor Destino de Praia da Europa”, na edição de 2020 dos World Travel Awards.

Esta é a sétima vez (e sexta consecutiva) que o destino conquista a preferência dos principais líderes da indústria de turismo e viagens de todo o mundo que, anualmente, participam nesta iniciativa e votam para premiar a melhor oferta turística a nível global.

Para além do valioso histórico que permite à região manter o recorde enquanto destino que mais vezes ganhou este galardão (em 2013, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e, agora, 2020), o Turismo do Algarve considera que a distinção alcançada este ano assume uma importância especial. “Num ano tão atribulado como o de 2020, receber este prémio e continuar a merecer a confiança de viajantes de todo o mundo é um sinal de confiança no futuro. Esta distinção vem reconhecer não só a qualidade das nossas praias e da nossa oferta, mas também mostrar que o Algarve continua a ser um destino seguro para passar férias, com tranquilidade e cumprindo todas as normas definidas para a proteção da saúde pública”, afirma João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve.

De recordar que o Algarve foi uma das primeiras regiões europeias a abrir a época balnear, garantindo todas as condições de segurança. “Reforçar a segurança do destino e reconquistar a confiança dos turistas tem sido a nossa prioridade, desde o início da pandemia”, explica João Fernandes. “Houve uma grande mobilização e um esforço conjunto de toda a região nesse sentido, o que se revelou essencial para consolidar esta imagem de Melhor destino de Praia Europeu. Receber esta distinção internacional vem validar todo esse trabalho e provar que o Algarve é capaz de se adaptar às novas circunstâncias, sem adulterar a qualidade e a autenticidade das experiências que aqui podem ser vividas pelos nossos turistas.”

A beleza e a diversidade das praias do Algarve, o sol que se faz sentir o ano inteiro e a oferta de condições para a prática de diversas atividades e desportos relacionados com o mar são algumas das características mais valorizadas por quem escolhe as praias algarvias. A estes, juntam-se outros fortes argumentos como a existência de 87 praias de bandeira azul; a sinalização de 48 praias com as acessibilidades necessárias para pessoas com mobilidade condicionada; a implementação de boas práticas ambientais no que toca à limpeza e à preservação desses locais ou ainda a disponibilização de um conjunto de infraestruturas e serviços de apoio de qualidade reconhecida.

É com base na conjugação de todos estes atributos, que o Algarve tem vindo a ser distinguido, ao longo dos últimos anos, como “Melhor Destino de Praia da Europa”. Este é um posicionamento que tem permitido ao Turismo do Algarve capitalizar a aposta que tem vindo a fazer, quer ao nível da fidelização de mercados estratégicos prioritários, como da diversificação de outros mercados. “Junto de todos aqueles que nos visitam para conhecer as nossas praias excecionais, procuramos depois promover uma oferta rica e diversificada – que vai desde o golfe, ao turismo náutico e ao turismo de natureza, à cultura e à gastronomia da região.”, revela João Fernandes.

Já se pode dar tacadas no melhor destino de golfe da Europa

Os campos de golfe do Algarve estão de regresso à atividade desde o início do mês, esperando atrair os habituais praticantes da modalidade com a retoma das viagens e a abertura gradual das fronteiras. Com rigorosos protocolos sanitários em vigor, os mais de 40 campos da região querem provar que é seguro jogar naquele que foi considerado o melhor destino de golfe da Europa em 2020 pela revista britânica Today’s Golfer.

Numa altura que corresponderia ao pico da procura pela modalidade – os meses de março, abril e maio são os que habitualmente concentram o maior número de voltas nos golfes algarvios, além de setembro e outubro –, os campos do Algarve reabrem em condições plenas de segurança para os praticantes e funcionários das instalações desportivas. Garantia disso é o cumprimento, por cada campo, das linhas orientadoras definidas no plano da Federação Portuguesa de Golfe para a reabertura do negócio.

Para o presidente do Turismo do Algarve, João Fernandes, «este é um sinal do esforço da indústria do golfe da região, e da sua resiliência, em acompanhar a exigente dinâmica que a situação de pandemia criou desde que foi decretada. Seguindo as recomendações da Federação, do Conselho Nacional da Indústria do Golfe e da Direção-Geral de Saúde, passamos a mensagem de que é possível voltar a jogar com confiança nos nossos campos, que em 2019 contabilizaram mais de um milhão de voltas».

Mas o golfe não é o único exemplo da retoma da atividade económica e social no Algarve. Aos poucos, a região vai saindo do confinamento imposto pela pandemia e já se veem marinas e empresas de rent-a-car a funcionar. Este mês, 33% das unidades hoteleiras também já estão abertas, subindo a percentagem para os 75% em junho, segundo um inquérito realizado pelo Turismo do Algarve. A estes juntam-se os restaurantes, que reabriram as portas no início desta semana, os parques de campismo, as áreas de serviço de autocaravanas e ainda os mercados e feiras, polos habituais de atração no Algarve pela qualidade dos produtos e pelo típico ritual da compra de proximidade aos vendedores locais.

«A retoma é naturalmente lenta, até porque temos de estar em cumprimento de um conjunto de normas que permitam reativar os negócios de forma responsável. Mas com o anunciado arranque da época balnear a 6 de junho, fator importante pelo óbvio impacto do produto Sol e Mar no Algarve, e com o esperado restabelecimento da liberdade de circulação no espaço Schengen há esperança de alguma vitalidade para o setor do turismo algarvio ainda este ano», conclui João Fernandes.

Créditos imagem: Hélio Ramos

Irlandeses elegem o Algarve como “Melhor Destino de Verão 2020”

O primeiro mês do ano ainda não chegou ao fim e o Algarve continua a conquistar prémios internacionais.O mais recente galardão foi anunciado ontem, na edição de 2020 dos Irish Travel Industry Awards e distingue a região como “Melhor Destino de Verão 2020“. Este prémio, atribuído pela indústria de viagens da Irlanda, reconhece a qualidade na prestação de serviços de viagens internacionais para clientes que viajam a partir desse mercado e constitui um selo de garantia concedido pela Associação dos Agentes de Viagens Irlandeses. O Algarve foi eleito favorito numa lista de nomeados que incluía outros destinos como Espanha e as ilhas Canárias, Grécia, Itália e Orlando.

Esta é mais uma importante distinção para a nossa região e terá um papel estratégico na consolidação do prestígio e da notoriedade que a marca Algarve tem construído junto do mercado irlandês“, avança João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve. “O conjunto de atrativos que a região consegue oferecer a quem a visita, desde as praias, as paisagens de enorme beleza natural, as delícias da gastronomia local, as visitas culturais ou a prática de atividades diversas como o golfe, os desportos náuticos, as caminhadas ou os passeios de bicicleta, há muito que são valorizados pelos turistas irlandeses e este interesse felizmente continua a crescer. Inclusivamente, o Algarve tem-se afirmado neste mercado não apenas como um destino ideal de férias mas também como um local de eleição para casar”, revela.”De recordar que este título de “Melhor Destino de Verão” tem sido entregue a Portugal de forma consecutiva, desde 2017, e, por isso, estamos obviamente orgulhosos por poder contribuir, agora em nome próprio, para dar continuidade a todo este reconhecimento que a Irlanda tem dado ao valor da oferta turística nacional“, conclui o presidente.

 Assumindo-se como um dos principais mercados emissores de turistas para a região do Algarve, a Irlanda foi responsável pela estadia de cerca de 245 mil hóspedes e mais de 1.320.000 dormidas no destino, em 2018. No ano passado e até o mês de setembro, estes indicadores registaram um crescimento de 10% no número de hóspedes e de 5,4% no número de dormidas, face ao período homólogo do ano anterior. Este é o segundo prémio que o Algarve conquista em 2020, num curto espaço de dias. Na semana passada, a região foi também distinguida com o título de “Melhor Destino de Golfe na Europa Continental“, atribuído pelos leitores da conceituada revista britânica Today`s Golfer, pelo quarto ano consecutivo.

Mercado Interno põe turismo no Algarve em máximos

O Algarve ultrapassou a marca dos 20 milhões de dormidas nos estabelecimentos de alojamento turístico entre janeiro e novembro de 2019, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE). Pelo terceiro ano seguido, esta é a única a região no país a atingir o patamar dos 20 milhões de dormidas num ano e prepara-se para alcançar novos máximos anuais nas dormidas, nos hóspedes e nos proveitos na hotelaria, assim como nos passageiros e nas voltas de golfe.

Em novembro, o alojamento turístico algarvio – que na definição do INE compreende hotelaria, alojamento local com 10 ou mais camas e turismo no espaço rural/de habitação – registou cerca de 203 mil hóspedes (+12,1% do que no mesmo mês do ano anterior) e 789 mil dormidas (+7,8%). As dormidas de residentes cresceram 17,8% e as de não residentes 5,9%, com destaque para o Reino Unido (+5,7%), Alemanha (+10,5%), Espanha (5,7%), EUA (+22,1%) e Itália (+40,4%). A estada média foi de 3,89 noites e a taxa líquida de ocupação ascendeu a 27,4%.

Ainda em novembro, os proveitos totais no alojamento do Algarve aumentaram 10,6%, atingindo 32,3 milhões de euros. O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) aumentou 6,4%, para 17,4 euros, e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 49,8 euros (+4,6%).

Os resultados agradaram ao presidente da Região de Turismo do Algarve, João Fernandes: «Foi particularmente expressivo o aumento do mercado interno, que até novembro já ultrapassou o recorde anual de dormidas na região, alcançado em 2018. Assinalo ainda o crescimento das dormidas fora da época alta, superior a 100 mil dormidas, tudo apontando para que 2019 seja mais um ano de redução da taxa de sazonalidade, que desde 2015 tem registado uma evolução positiva no destino», conclui.

Desde o início do ano, o Algarve acumulou 4,9 milhões de hóspedes (+7,3% do que em 2018) e 20,4 milhões de dormidas (+2,4%). Os proveitos totais nos onze primeiros meses do ano ascendem a 1,2 mil milhões de euros (+7,2%). No mesmo período, os campos de golfe membros da Associação Algarve Golfe registaram 1,29 milhões de voltas (+1,4%) e o aeroporto de Faro movimentou 8,7 milhões de passageiros (+3,7%).