68% dos responsáveis de recursos humanos inquiridos para o Barómetro RH 2020/21, realizado pelo Kaizen Institute, afirmaram que as suas empresas pretendem adotar o trabalho remoto de forma estrutural, numa lógica de complementaridade em relação ao trabalho presencial. 86% dos inquiridos ponderam manter 2 ou mais dias de trabalho remoto por semana.

  • Ainda que a maioria das empresas pretenda adotar regime de trabalho misto, 85% não paga ajudas de custo aos colaboradores em teletrabalho e somente 8% pensa vir a fazê-lo.
  • 70% dos inquiridos consideram que a eficiência dos colaboradores em regime de teletrabalho será equivalente ou superior à registada num cenário pré-Covid. 30% acreditam que a eficiência será menor.
  • O Barómetro RH 2020/21 inquiriu cerca de 150 diretores de Recursos Humanos de grandes e médias empresas nacionais.

68% dos diretores de Recursos Humanos inquiridos para o Barómetro RH 2020/21, realizado pelo Kaizen Institute, afirmaram que a sua empresa adotou ou vai adotar um modelo misto de trabalho, numa lógica de complementaridade entre teletrabalho e trabalho presencial. Destas, 86% planeiam manter 2 ou mais dias de trabalho remoto por semana. Ainda que a maioria das empresas pretenda adotar um regime misto, 85% não paga ajudas de custo aos colaboradores em teletrabalho e somente 8% está a pensar fazê-lo. Apenas 30% dos inquiridos afirmam que o teletrabalho deixará de ser opção assim que as condições sanitárias o permitam.

“Esta edição do Barómetro RH 2020/21 fica marcada por um contexto disruptivo, que forçou as organizações a ajustarem-se rapidamente. Houve uma mudança notória nas relações do trabalho, desde logo através da larga adoção do teletrabalho, que deverá integrar de forma estrutural o funcionamento das organizações. Este panorama implica que se repense grande parte dos processos. Externamente, prestando o melhor serviço através da rapidez na capacidade de resposta e garantindo a qualidade para assegurar a satisfação do cliente. Internamente, com a simplificação e otimização dos processos para um grande e eficaz aumento de produtividade. Com o aumento da digitalização e do teletrabalho, a importância dos recursos humanos na transformação do tecido empresarial é fundamental. As pessoas são o verdadeiro motor das organizações, o que está intimamente ligado ao sucesso de cada negócio. O desafio do Kaizen é a concretização dos objetivos disruptivos, mobilizando a transformação diária e sustentada, com todas as pessoas, em todas as áreas, para chegar a níveis de desempenho económico e financeiro de excelência, garantindo a sustentabilidade futura das organizações”, afirma Tiago Mota Costa, Senior Partner do Kaizen Institute Western Europe.

O Barómetro RH 2020/21 revela ainda que as prioridades das empresas no que toca aos recursos humanos se alteraram. Entre os dois aspetos a que as companhias dão agora primazia estão a preparação do colaborador para diferentes cenários no médio e longo prazo (44%), e a melhoria das condições de segurança, higiene e saúde no trabalho (39%). Antes da pandemia, as duas prioridades de topo no que respeita os recursos humanos eram a retenção de talento (53%) e a contratação de novos profissionais (45%).

Apesar do contexto, 55% dos diretores afirmam que a motivação dos trabalhadores se manteve estável nos últimos 6 meses, e 24% revelam um aumento do nível de motivação dos seus colaboradores. Relativamente à produtividade, 68% comunicam que, no mesmo período, este indicador se manteve estável, e 22% referem que esta até aumentou.

Quanto à expectativa da eficiência das equipas em teletrabalho no primeiro semestre de 2021, 31% acreditam que se verificará uma maior eficiência; 39% consideram que os valores serão equivalentes aos do trabalho presencial; e 30% dos inquiridos acreditam que a eficiência será menor.

Relativamente ao processo de recrutamento, uma das principais mudanças está ligada à digitalização. A maior parte das empresas (53%) já tinha uma componente digital nos seus processos, sendo que nestas empresas a grande maioria do processo de recrutamento é agora feito online. Somente 19% mantiveram os seus processos de recrutamento inalterados.

O Barómetro Kaizen RH 2020/2021 concluiu ainda que, apesar da atual crise e do impacto negativo que se sente de forma transversal nos mercados, 69% das empresas esperam aumentar a sua massa salarial no primeiro trimestre de 2021. Destas, 34% antecipam aumentos de até 2%; 29% estimam um aumento entre 2% e 5%, e 6% preveem um aumento superior a 5%.

O Barómetro RH 2020/21 inquiriu cerca de 150 diretores de Recursos Humanos de grandes e médias empresas nacionais, com o objetivo de avaliar a resposta das organizações à situação pandémica, as principais tendências e desafios atualmente verificados na Gestão das Pessoas, bem como o grau de motivação e produtividade dos colaboradores.

 

SOBRE O KAIZEN INSTITUTE
O Kaizen Institute Consulting Group é uma empresa multinacional que fornece serviços de consultoria e formação ao tecido empresarial e instituições públicas em mais de 35 países. A empresa atua em diferentes setores de atividade, suportando as organizações e desafiando os líderes a melhorarem a sua rentabilidade e a fazerem crescer o seu volume de negócios. Fundado em 1985, na Suíça, está em Portugal, com escritórios no Porto e em Lisboa, desde 1999.

Pacote inclui salário isento de impostos, acomodação partilhada gratuita no Dubai e outros benefícios

A Emirates, a maior companhia aérea internacional, está à procura de candidatos para integrar sua equipa multinacional de tripulação de cabine. A companhia aérea com sede no Dubai realiza o Open Day de Recrutamento de Tripulantes de Cabine no dia 15 de março no Lisbon Marriott Hotel; no dia 18 de março no Porto Palácio Hotel & Spa; e a 20 de março no Tivoli Coimbra Hotel – às 9h00.

A companhia aérea procura homens e mulheres open-minded, com uma atitude prestável, amigável e orientada para o trabalho, oferecendo aos passageiros a melhor experiência a bordo. Os candidatos devem comparecer com um curriculum vitae (CV) em inglês atualizado e uma fotografia recente. Embora não seja obrigatório, os candidatos são aconselhados a preencher um formulário on-line no site de carreiras do Emirates Group, antes de participar no Open Day.

Existem diversos critérios  a ter em consideração, tais  como: os candidatos terem, pelo menos, 21 anos no momento de inscrição e um alcance de braço de 212 cm quando estão  em ponta dos pés  e  terem  capacidade de adaptação  a  novas pessoas, lugares e situações. Mais informações sobre os locais e requisitos do processo de seleção, incluindo  dress  code e tutoriais em: http://www.emiratesgroupcareers.com/cabin-crew/ 

Os candidatos deverão ir preparados para passar o dia no local, se necessário. Os candidatos pré-selecionados serão informados dos horários para novas avaliações e entrevistas. 

Atualmente, a Emirates voa para 158 destinos em seis continentes, operando uma frota de 271 aviões.  É  o maior operador global de aviões Boeing 777 e Airbus A380. A Emirates oferece aos candidatos uma excelente oportunidade de carreira, formação  e uma  incomparável  exposição cultural,  integrando  uma  equipa  verdadeiramente internacional, com  mais de 130 nacionalidades, incluindo  cerca de 500  de  Portugal. 

A tripulação de cabine beneficia de uma série de vantagens que compõem o pacote salarial, desde um rendimento livre de impostos, uma casa moderna gratuita no Dubai para partilhar, transporte gratuito de ida e volta para o trabalho, cuidados de saúde assegurados, além de descontos especiais em compras e atividades de lazer na cidade. A companhia aérea também oferece benefícios de viagem interessantes para a tripulação de cabine, bem como para os seus amigos e familiares, uma vez que a crescente rede global da Emirates oferece muitas oportunidades de viagem nos seis continentes.  A Emirates voa para Portugal desde 2012 e atualmente oferece dois voos diários entre o Dubai e Lisboa e 4 voos semanais entre Dubai e Porto.

A Emirates, a maior companhia aérea internacional, está à procura de candidatos para integrar sua equipa multinacional de tripulação de cabine. A companhia aérea com sede no Dubai realiza o Open Day de Recrutamento de Tripulantes de Cabine no dia 15 de fevereiro no Hotel Vila Porto Mare; no dia 17 de fevereiro no Hotel Faro; e a 20 de fevereiro no Melia Hotel & Spa – às 9h00.

A companhia aérea procura homens e mulheres open-minded, com uma atitude prestável, amigável e orientada para o trabalho, oferecendo aos passageiros a melhor experiência a bordo. Os candidatos devem comparecer com um curriculum vitae (CV) em inglês atualizado e uma fotografia recente. Embora não seja obrigatório, os candidatos são aconselhados a preencher um formulário on-line no site de carreiras do Emirates Group, antes de participar no Open Day.

Existem diversos critérios  a ter em consideração, tais  como: os candidatos terem, pelo menos, 21 anos no momento de inscrição e um alcance de braço de 212 cm quando estão  em ponta dos pés  e  terem  capacidade de adaptação  a  novas pessoas, lugares e situações. Mais informações sobre os locais e requisitos do processo de seleção, incluindo  dress  code e tutoriais em: http://www.emiratesgroupcareers.com/cabin-crew/ 

Os candidatos deverão ir preparados para passar o dia no local, se necessário. Os candidatos pré-selecionados serão informados dos horários para novas avaliações e entrevistas. 

Atualmente, a Emirates voa para 158 destinos em seis continentes, operando uma frota de 271 aviões. É o maior operador global de aviões Boeing 777 e Airbus A380. A Emirates oferece aos candidatos uma excelente oportunidade de carreira, formação  e uma  incomparável  exposição cultural,  integrando  uma  equipa  verdadeiramente internacional, com  mais de 130 nacionalidades, incluindo  cerca de 500  de  Portugal. 

A tripulação de cabine beneficia de uma série de vantagens que compõem o pacote salarial, desde um rendimento livre de impostos, uma casa moderna gratuita no Dubai para partilhar, transporte gratuito de ida e volta para o trabalho, cuidados de saúde assegurados, além de descontos especiais em compras e atividades de lazer na cidade. A companhia aérea também oferece benefícios de viagem interessantes para a tripulação de cabine, bem como para os seus amigos e familiares, uma vez que a crescente rede global da Emirates oferece muitas oportunidades de viagem nos seis continentes. 

O Turismo gerou em 2018 mais de 14,7 mil milhões de euros e 201 mil postos de trabalho na Região de Lisboa, revela o estudo realizado pela Deloitte para a Associação Turismo de Lisboa (ATL). Estes dados refletem a estimativa do impacto direto e indireto na geração de riqueza e no emprego da atividade turística.

Os resultados apresentados permitem concluir que a produção total do setor do Turismo correspondeu a 20,3% do PIB da Região de Lisboa, em 2018.

Entre 2005 e 2018, a produção total dos agentes da cadeia de valor do Turismo na Região de Lisboa registou um aumento médio anual de 11%. O nível de emprego no setor atingiu uma taxa de crescimento de 5,1%.

O desenvolvimento do Turismo tem ainda gerado um outro conjunto de impactos que beneficiam os residentes na Região de Lisboa e os visitantes, nomeadamente a requalificação urbana, e o enriquecimento da oferta sociocultural, com a criação de um maior número de eventos e atividades de animação e equipamentos de lazer.

Esta dinâmica crescente das diferentes atividades e agentes da cadeia de valor do setor é resultado de uma estratégia concertada entre parceiros públicos e privados e reflete o efeito multiplicador do Turismo, enquanto setor de elevado impacto na economia de Lisboa e do país.

José Luís Arnaut, presidente-adjunto da ATL, refere que “a forma como Lisboa tem dinamizado o desenvolvimento do Turismo tem permitido gerar riqueza nas diferentes atividades e agentes da cadeia de valor do setor, nomeadamente na construção, restauração, atividades culturais e comércio. Este é o caminho a manter, com os devidos ajustes em função da exigência, cada vez maior, associada ao patamar de excelência a que já chegámos”.

Geração de Riqueza

O valor das receitas gerado pelos estabelecimentos hoteleiros, na Região de Lisboa, continua em crescimento, desde 2012, tendo atingido o preço médio por quarto de 108,57€, em 2018. Por sua vez, o alojamento local continua a afirmar-se, tendo gerado mais 37,7% em receitas, quando comparado com 2017.

Na restauração, o aumento de 26% em receitas permitiu superar os 900 milhões de euros, em 2018, como resultado do aumento do número de turistas, do gasto médio diário por turista (cerca de 8%) e da estada média.

No setor dos transportes, o crescimento da atividade turística refletiu-se num crescimento de 13% das receitas geradas, mantendo a tendência verificada desde 2009. Entre 2017 e 2018, este crescimento situou-se nos 13,3%, o que representa um crescimento médio anual de aproximadamente 10% desde 2005.

As receitas geradas pelo Turismo de Negócios cresceram cerca de 18%, entre 2017 e 2018, tendo atingido mais de 260 milhões de euros. No que respeita ao número de participantes foi registado um aumento de 50 mil participantes, para um total de cerca de 300 mil.

No golfe, à semelhança do que já se tinha verificado em 2017, verificou-se uma melhoria das receitas provenientes de voltas realizadas por não sócios na Região de Lisboa, que representa um aumento de 5,86%.

Os gastos dos turistas no setor da cultura tem aumentado progressivamente, tendo atingido o valor de 98 milhões de euros em 2018. Face a 2017, assistiu-se a um aumento das receitas em museus e eventos e festivais de música.

A maioria dos turistas estrangeiros que visitaram Lisboa são provenientes do Brasil, França, EUA, Espanha, Alemanha, Reino Unido e Itália. Em média, gastaram 153,5€ por dia e ficaram 4,5 noites na Região. O estudo indica ainda que 95,1% chegou de avião e que 93% visitou Lisboa em lazer, sendo que 83% o fez num registo de City & Short Break. Cerca de 90% dos turistas estrangeiros visitaram Lisboa pela primeira vez.

Vitor Costa, diretor geral da ATL e presidente da ERT da Região de Lisboa, acrescenta que “estes resultados demonstram o acerto da estratégia de desenvolvimento regional do Turismo que tem vindo a ser implementada e colocam novos desafios à sustentabilidade económica, social, ambiental e territorial desta atividade, a que a implementação do novo Plano Estratégico recentemente aprovado tem que responder.”

Criação de Emprego

O emprego gerado por atividades do setor do Turismo tem vindo a crescer de forma ininterrupta desde 2013, sendo que os setores de animação turística e comércio foram os que mais aumentaram em termos de manutenção/ geração de postos de trabalho. Os mais de 96 mil postos de trabalho diretos decorrem de um crescimento de 6%, como resultado do aumento da atividade turística.