A Quinta Dom Nuno, em Fátima, acolheu esta quinta-feira, a entrega dos Prémios de Excelência na hotelaria, Xénios 2021, numa cerimónia conduzida pelo humorista Fernando Alvim.

VENCEDORES XÉNIOS 2021

Categoria Melhor Diretor de Hotel
Mário Custódio
EPIC SANA Algarve Hotel

Mário Custódio – EPIC SANA Algarve Hotel

Categoria Melhor Diretor de Alojamentos
Pedro Moreira
Tivoli Marina Vilamoura Algarve Resort

Pedro Moreira – Tivoli Marina Vilamoura Algarve Resort

Categoria Melhor Diretor de F&B
José Louzã Henriques
Évora Hotel

José Louzã Henriques – Évora Hotel

Categoria Melhor Diretor Comercial/Marketing/Vendas
Teresa Roldão de Barros
Sublime Comporta

Categoria Melhor Jovem Diretor
Catarina Fonseca
Vila Galé Collection Alter Real-Resort Equestre, Conference & Spa

Catarina Fonseca – Vila Galé Collection Alter Real-Resort Equestre, Conference & Spa

Categoria Melhor Gestor de Potencial Humano
Vítor Silva
Hotéis InterContinental Lisbon e Crowne Plaza Porto

Vítor Silva – Hotéis InterContinental Lisbon e Crowne Plaza Porto

Categoria Melhor Empresa de Outsourcing / Parceiro de Negócios
Host Hotel Systems

Prémio Carreira
Américo Simões

Américo Simões

Prémio de Mérito
Pedro Machado

Pedro Machado

Com as restrições a diminuírem e os casos de COVID-19 a estabilizarem, o setor do turismo local está a revelar uma recuperação positiva rumo aos níveis pré-pandemia, com as reservas de hotéis por todo o país a subir em flecha (84,02%) em relação ao mesmo período dois anos antes.

De acordo com o World Hotel Index do SiteMinder, Portugal teve um aumento drástico das reservas de hotéis só no mês passado. Os volumes de reservas saltaram dos 34% a 10 de abril para mais de 80% a 10 de maio, em comparação com as mesmas datas dois anos antes.

Recuperação de reservas de hotéis em Portugal entre a mais rápida da Europa

Portugal foi um dos 10 países mais visitados da Europa em 2019. Com base nos dados do World Hotel Index do SiteMinder, este país, juntamente com Espanha e Islândia, formam os três países que recuperaram a maior percentagem de reservas de hotéis em comparação com os dados pré-pandemia. Portugal está atualmente 24,97% acima da média mundial e cerca de 11,98% acima de Espanha.

Em comparação, França, Alemanha, Itália, Países Baixos, Suécia e Marrocos registaram um aumento mais lento nas reservas de hotéis, abaixo da média global.

Em relação aos níveis de 2019, as reservas locais para o Porto já ultrapassam as reservas para Madrid e Barcelona juntas, seguidas das reservas para Málaga, Valência e Sevilha em Espanha.

Mostrando-se popular para viagens de última hora devido às alterações das condições de viagem, mais de 55% das reservas feitas em hotéis portugueses nas últimas duas semanas foram feitas para os meses de maio ou junho.

«As viagens estão de volta à agenda de Portugal», afirmou André Gois, Gerente Nacional da SiteMinder, a plataforma de aquisição de hóspedes líder no setor hoteleiro e a maior plataforma de comércio aberto de hotéis do mundo.

«De acordo com os dados, as reservas em hotéis portugueses subiram a pique no último mês, revelando a emoção e a confiança que as pessoas agora têm para viajar dentro do país.»

Acrescentou ainda: «Se comparado com o resto da Europa, Portugal está a ter um forte desempenho na vertente de reservas de hotéis e, com base nos dados do mês anterior, a tendência parece ser de subida. É muito bom ver a nossa indústria hoteleira a florescer novamente, tanto para os nossos cidadãos, como para os hóspedes internacionais».

Para mais informações, consulte siteminder.com/world-hotel-index

A Revolut, a plataforma global de serviços financeiros com mais de 15 milhões de clientes no mundo e mais de meio milhão em Portugal, questionou os seus utilizadores sobre os planos que têm para viajar nos próximos meses, através de um inquérito feito a mais de 12 mil pessoas, em mais de 10 países, mais de 1.000 dos quais em Portugal.

Portugal, Europa ou além fronteiras?

34% dos respondentes portugueses planeiam viajar para o estrangeiro nos próximos meses, já 25% admitem fazer férias exclusivamente em Portugal. 30% dos clientes desejam ter a possibilidade de viajar tanto em território nacional como fora dele. 76% reconheceram também que gostariam de viajar confortavelmente para fora do país em breve, mas 12% admitem que só o farão, categoricamente, quando a pandemia for dada como terminada.

Factor preponderante para muitos é o plano de vacinação que está a ser desenrolado em vários países, com 68% a admitirem querer um passaporte de imunidade para poder viajar sem restrições de maior. 11% dos respondentes não têm interesse num eventual documento deste género e 21% reconhecem ainda não ter uma opinião formada sobre o tema.

A situação pandémica vai continuar a impactar, indubitavelmente, a forma como as pessoas planeiam os seus períodos de descanso. 63% admitem que farão umas férias diferentes do habitual devido à Covid-19 ou farão essa planificação de forma cuidadosa. 19% reconhecem que ainda não delinearam os planos para as próximas férias, essencialmente, devido à pandemia.

Hotéis criteriosos, transportes privados, pagamentos eletrónicos e bom sistema de saúde críticos para aumentar sensação de segurança

64% dos respondentes portugueses vão privilegiar estadias em hotéis caso estes cumpram criteriosas regras de segurança no que diz respeito à Covid-19. Já 25% admitem optar por espaços privados ou alojamentos locais. 60% recorrerão ainda a meios de transporte privados. 77% optarão também por meios de pagamento eletrónicos, como cartões ou wearables, tanto por motivos de higiene e segurança como por conveniência, em detrimento de dinheiro vivo.

Cerca de 47% dos clientes terão também em consideração os sistemas de saúde dos locais que pretendem visitar, sendo que 28% admitem preocupação mas não condicionarão o plano de férias em função disso.

No que diz respeito à tipificação das férias, os portugueses que responderam ao inquérito realizado ao longo de cinco dias, no final do mês de Abril, admitem que farão férias em família (21%), sendo a opção de praia a escolha de 17%. 13% dos inquiridos admitem que farão uma escapadela em cidade e 10% admitem investir numas férias festivas. As férias a solo (7,5%), de aventura (6%), na natureza (6,5%), retiros (6%) ou cruzeiros (3%) são outras opções.

O Turismo de Portugal congratula-se com a decisão do Reino Unido de incluir o país na “lista verde” de destinos de baixo risco de infeção por COVID-19, o que isenta os turistas da necessidade de quarentena após o regresso.

Nesta fase inicial de retoma da atividade turística a nível internacional, são boas notícias para o turismo nacional, uma vez que demonstram confiança no destino Portugal. Atualmente, Portugal é um dos países da Europa com menor incidência de COVID-19, tendo vindo a registar uma evolução favorável em todos os indicadores de controle da pandemia, desde a significativa redução da taxa de infeção ao decréscimo, sucessivo e muito expressivo, do número de casos ativos.

À semelhança do que tem ocorrido no Reino Unido, onde o plano de vacinação se tem concretizado de forma exemplar assegurando a inoculação de grande parte da população, também Portugal tem desenvolvido uma importante e bem sucedida operação a nível nacional o que, não só contribui para a contenção da pandemia, mas também reforça a sua posição enquanto destino seguro.

Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, sublinha que “este dia marca o início da reativação do turismo, no contexto internacional. Os primeiros passos para promover as viagens internacionais na UE foram já dados pela Presidência do Conselho Europeu, com o passe verde digital, mas há ainda que trabalhar para repor a mobilidade com países terceiros à UE. Portugal e o Reino Unido foram sempre países parceiros, também no turismo, pelo que é com especial satisfação que vemos a inclusão de Portugal como o primeiro país da UE na lista verde do Reino Unido. Estaremos prontos para receber os turistas britânicos com a simpatia do costume e com ainda mais segurança”.

O Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, acrescenta que “Portugal dá as boas-vindas aos turistas britânicos com a máxima segurança. Os nossos equipamentos, atividades e empresas do setor estão preparados para receber visitantes, com a garantia Clean & Safe de que cumprem todos os requisitos decretados pelas autoridades de saúde. Este é um passo importante na recuperação da nossa atividade turística e, consequentemente, da economia nacional. Repor a mobilidade entre países é essencial para podermos olhar para o futuro de forma positiva, sabendo que estamos mais fortes e focados no nosso propósito de receber bem e em segurança”.

A expansão e renovação do selo Clean & Safe para 2021-22 inclui toda a cadeia de valor do turismo com mais de 22.400 empresas inscritas e 23.000 profissionais formados, o que demonstra o compromisso do setor na retoma segura da atividade.

Observa-se neste momento grande disponibilidade por parte dos parceiros de transporte aéreo e de operação turística para as reservas por parte dos turistas britânicos. Aliás, a recuperação das ligações aéreas entre os dois países está a ser feita de forma gradual, com o objetivo de se recuperar as 700 frequências semanais que existiam no verão de 2019 entre aeroportos britânicos e nacionais.

O Reino Unido é um dos principais mercados emissores para Portugal, com uma quota de 19% nas dormidas de não residentes e mais de 3,3 mil milhões de euros em receitas, em anos pré-pandémicos.

Aceler@Tech in Portugal já tem finalistas. Desde visitas virtuais com imersão em 3D a bilhética para eventos assente em tecnologia blockchain ou experimentação global através da cultura gastronómica, os projetos finalistas desta iniciativa – que vai atribuir mais de 20.000€ em prémios financeiros aos projetos vencedores – prometem inovar este setor vital para a economia do país.

O Acelera@Tech tem como objetivo atrair para Portugal a melhor inovação ligada ao Turismo, contribuindo para o aumento da competitividade e inovação do setor. A primeira edição do programa contou com três centenas de candidaturas oriundas de todo o mundo. A maior parte dos projetos candidatos são europeus, mas estão representados todos os continentes, e, para além de Portugal, os principais países inscritos foram o Brasil, EUA, Índia, Singapura, Paquistão, Grécia, Alemanha e Espanha.

Os 20 finalistas, agora anunciados, transitam para uma segunda fase de aceleração, na qual irão ser postos em contacto com diversos mentores com experiência no desenvolvimento de negócio e/ou na área do Turismo, investidores nacionais, empresas portuguesas líderes do setor com quem poderão desenvolver pilotos e startups portuguesas ligadas ao Turismo com quem poderão explorar sinergias.

Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, que tinha marcado presença na sessão de abertura do Aceler@Tech, afirmou que no objetivo de posicionar Portugal na liderança mundial do Turismo, a “intervenção do Turismo de Portugal faz-se também através da parceria desenvolvida com intervenientes responsáveis por organizar programas de aceleração – como a Acredita Portugal, universidades e investidores, que tornam possível identificar boas ideias e criar um ecossistema dinâmico no setor do Turismo.”

A Bandeira Azul vai ser hasteada em 12 praias do concelho de Torres Vedras, durante a próxima época balnear. As praias distinguidas com o galardão são: Azul, Centro, Física, Formosa, Foz do Sizandro, Mirante, Navio, Pisão, Porto Novo, Santa Helena, Santa Rita-Norte e Santa Rita-Sul.

Torres Vedras continua, assim, a ser o concelho da região com maior número de bandeiras azuis, sendo, também, uma referência nacional no que respeita a este galardão.

Em Portugal, a Bandeira Azul é atribuída pela Associação Bandeira Azul da Europa, constituindo-se como um símbolo de qualidade ambiental, “que distingue o esforço de diversas entidades em tornar possível a coexistência do desenvolvimento local a par do respeito pelo ambiente, elevando o grau de consciencialização dos cidadãos em geral, dos decisores em particular, para a necessidade de se proteger o ambiente marinho, costeiro e lacustre”.

Para a atribuição de uma Bandeira Azul a uma zona balnear são analisados 33 critérios que se dividem em quatro grupos: Informação e Educação Ambiental; Qualidade da Água; Gestão Ambiental e Equipamentos; e Segurança e Serviços.

A Doca de Santo Amaro da Marina de Lisboa, sob gestão da Administração do Porto de Lisboa (APL), renovou pelo sexto ano consecutivo o galardão do Programa Bandeira Azul (PBA) da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), para 2021.

Durante a próxima época balnear vão poder hastear a Bandeira Azul mais 12 praias, menos duas marinas e mais duas embarcações de ecoturismo. Este ano, a ABAE anunciou a Bandeira azul para 372 praias, 16 Portos de Recreio/Marinas e 11 Embarcações Ecoturísticas, eleitos por um Júri Internacional, um aumento de 12 Bandeiras Azuis em relação a 2020.

Entre os 53 países que desenvolvem o Programa Bandeira Azul, Portugal manteve em 2021 o sexto posto, considerando o número total de Bandeiras Azuis atribuídas.

O galardão Bandeira Azul, atribuído pela primeira vez em 2015 à Doca de Santo Amaro, e renovado sucessivamente desde então, tem contribuído para um crescimento sustentado. bem como para o contínuo desenvolvimento de uma estratégia integrada das docas de recreio de Lisboa. A doca de Santo Amaro é a única doca com bandeira azul gerida por uma entidade pública.

Esta renovação veio premiar, uma vez mais, a estratégia seguida pelo porto de Lisboa, que tem como meta criar, desenvolver e potenciar condições e formatos que acompanham a atividade náutica, nomeadamente para melhora as condições e serviços disponibilizados nas suas docas de recreio.

A tradição mantém-se, o formato adapta-se. A Festa do Alvarinho e do Fumeiro 2021, uma verdadeira meca para os apreciadores dos vinhos e sabores de Melgaço, distribui-se por dois fins-de-semana, de 7 a 9 e de 14 a 16 de maio, e pelo território, convidando a visitar as quintas e restaurantes do concelho, em segurança.  

O Soalheiro, produtor de referência da sub-região e presença habitual no evento, lança na sua loja online, um kit que serve de aperitivo a todos aqueles que se queiram juntar à festa e a vestir, literalmente, a camisola do território, onde a casta Alvarinho tem uma expressão única, reconhecida e apreciada em todo o mundo.

Pack Festa do Alvarinho 2021 (59, 00 €) promete aguçar o apetite para algumas das iguarias mais apreciadas da região, incluindo dois vinhos que representam a diversidade do território, Soalheiro Clássico 2020, um ícone do produtor e que reflete no copo a intensidade aromática característica da sub-região e Soalheiro Granit 2020, um Alvarinho de montanha, que comprova a elasticidade da casta, relevando um perfil mais mineral.

Mas nem só de Alvarinho se faz a festa. O fumeiro é também um dos atrativos gastronómicos da região e o Soalheiro dá a provar o salpicão de porco bísaro da Quinta da Folga, criado em regime de produção ecológica, e também um queijo de cabra Prados de Melgaço, curado com pimentão e alvarinho, e produzido segundo as técnicas artesanais da queijaria portuguesa.

O pack inclui ainda uma t-shirt com a inscrição “Território”, representativa da filosofia do produtor, cujos vinhos são produzidos com uvas provenientes de 150 viticultores e refletem dessa forma a identidade da sub-região e da sua dedicação ao Alvarinho. O convite estende-se a uma visita mais prolongada à quinta, incluindo ainda um Voucher de uma Prova de Vinhos Clássica na Quinta de Soalheiro, para 2 pessoas. Disponível na loja online do Soalheiro, a entrega é feita em 72 horas para Portugal continental e Espanha, custo incluído.

A degustação serve de convite para a Festa do Alvarinho e do Fumeiro, que este ano surge com um formato adaptado às restrições de prevenção da COVID-19. O evento divide-se por dois fins-de-semana, de 7 a 9 e de 14 a 16 de maio, dedicados ao alvarinho e fumeiro de Melgaço. No roteiro destacam-se como pontos principais, o Mercado Central, epicentro da festividade, onde haverá venda de vinhos e produtos regionais, os restaurantes locais, que terão harmonizações com Alvarinho, visitas às adegas dos produtores de vinho, de fumeiro e de produtos regionais e outras provas temáticas.

Soalheiro abre também as portas da quinta para dar a conhecer a sua história de quase 40 anos de produção de Alvarinho em Melgaço. Com quatro horários disponíveis (10:00, 12:00, 14:30 e 16:30) e número limite de 12 pessoas por horário, para garantir todas as condições de segurança, os visitantes serão recebidos com a oferta de um copo para que possam percorrer os três pontos de prova, divididos por perfis de vinhos Soalheiro: vinhos frutados e naturais, vinhos minerais e espumantes (máximo de 4 pessoas por ponto de prova). A visita é gratuita, mas requer inscrição prévia através do site www.soalheiro.com/enoturismo ou através do email enoturismo@soalheiro.com