A candidatura das Linhas de Torres Vedras, apresentada pela Rota Histórica das Linhas de Torres (RHLT), foi selecionada pelo júri nacional de pré-seleção dos sítios para atribuição da Marca do Património Europeu (MPE) 2021.

O júri responsável pela pré-seleção é constituído pela coordenadora nacional da MPE (GEPAC/Ministério da Cultura), e por representantes da Direção-Geral do Património Cultural, das Direções Regionais de Cultura do Norte, Centro, Alentejo, Algarve, da Direção Regional de Cultura dos Açores, da Secretaria Regional de Cultura e Turismo da Madeira e do ICOMOS Portugal.

A MPE é uma medida da União Europeia que tem por base uma iniciativa intergovernamental lançada em 2006. Os objetivos gerais da MPE consistem em reforçar o sentimento de pertença à União Europeia por parte dos cidadãos europeus, em especial dos jovens, com base nos valores e elementos comuns da história e do património cultural europeus, valorizar a diversidade nacional e regional e incrementar o diálogo intercultural. Para isso, esta designação procura realçar o valor simbólico e melhorar a visibilidade de sítios que tenham desempenhado um papel significativo na história e na cultura da Europa e/ou na construção da União Europeia.

Os procedimentos de seleção e de controlo da MPE são rigorosos e estabelecem várias fases de apreciação. Após uma pré-seleção efetuada por cada Estado Membro, um painel de peritos europeus elabora um relatório de apreciação sobre as pré-candidaturas, remetendo para a comissão Europeia a recomendação dos sítios a atribuir a MPE.

Recorde-se que a Rota Histórica das Linhas de Torres é uma Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres Vedras, sem fins lucrativos, constituída pelos municípios fundadores de Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira.