A iniciativa “Juntos Construímos o Futuro”, do Turismo Centro de Portugal, recebeu mais de 100 vídeos em duas semanas, enviados por pessoas que quiseram mostrar dessa forma a sua visão sobre a região.

Recorde-se que, a 22 de abril, o Turismo Centro de Portugal desafiou os viajantes e todos os que apreciam o território a enviarem os melhores vídeos que filmaram na região. Numa fase posterior, foram selecionados os melhores e mais sugestivos excertos dos vários vídeos, que foram editados num único filme final.

O filme pode ser visto nas plataformas do Turismo Centro de Portugal, nomeadamente em www.youtube.com/watch?v=Pr2tWoU6gOg. Os nomes dos autores dos excertos escolhidos são visíveis nos créditos finais do filme.

O sucesso desta iniciativa excedeu todas as nossas expetativas. Já sabíamos que todos os que visitam o Centro de Portugal guardam um carinho especial pelo território, mas os vídeos que recebemos demonstram que as pessoas ficam verdadeiramente apaixonadas pela região. O resultado final dos contributos é um filme realizado a partir de casa por múltiplos intervenientes, fruto das suas experiências e descobertas, que em comum partilham o amor pelo ‘seu’ Centro de Portugal e que mostram alguns dos recantos que poderemos voltar a descobrir quando chegar o tempo”, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

Esta iniciativa surgiu na sequência da campanha “Haverá Tempo!”, lançada pelo Turismo Centro de Portugal a 19 de março e que aponta caminhos para um futuro próximo, pós-pandemia covid-19.

A Marriott International, que há 92 anos é reconhecida como líder em hospitalidade pelo seu compromisso com a qualidade, formação rigorosa e padrões exigentes de limpeza dos hotéis, sempre destacou a saúde e a segurança dos seus associados e clientes. O fundador, JW Marriott, costumava inspecionar pessoalmente a limpeza das cozinhas e dos quartos durante as suas visitas ao hotel. Um elevado padrão de limpeza está no ADN da cadeia Marriott.
No seguimento dessa característica e em consequência da pandemia do COVID-19, o grupo criou uma plataforma multifacetada com a designação Marriott Global Cleanliness Council, projectada para atender aos desafios de saúde e segurança.

O conselho de limpeza global da Marriott está focado no desenvolvimento de um novo nível de padrões, normas e comportamentos globais de limpeza de hospitalidade, projetados para minimizar os riscos e aumentar a segurança dos seus associados e clientes em mais de 7300 propriedades em todo o mundo, excedendo em larga escala todos os procedimentos que até aqui, eram por si só de excelência.

O Conselho Global de Limpeza da Marriott é presidido por Ray Bennet, Diretor Global de Operações da Marriott International, e conta com a contribuição de especialistas internos e externos, incluindo líderes seniores de todas as disciplinas da cadeia como a limpeza, engenharia, segurança alimentar, ocupacional e bem-estar. Inclui os membros consultivos, Ruth L Petran, Cientista Corporativa Sénior da Segurança Alimentar e Saúde Pública da Ecolab, líder global de soluções e serviços de prevenção da água, higiene e infeção; Michael A.Sauri, especialista de doenças infeciosas da Adventist Health Care; Richard Ghiselli, chefe da Escola de Hotelaria e Turismo de Pardua University; e Randy Worobo, Professor de Microbiologia de Alimentos no Departamento da Ciência de Alimentos da Universidade de Cornell.

A Marriott introduziu novas tecnologias de limpeza, incluindo pulverizadores electroestáticos com desinfetantes recomendados pela OMS e Centros de Controle e Prevenção de Doenças para higienizar superfícies em todos os hotéis. Os pulverizadores limpam e desinfetam rapidamente e podem ser usados para limpar e desinfetar os quartos, salas de reuniões, garagem e outras áreas públicas. Além disso, a empresa está a testar a tecnologia de luz ultravioleta na desinfeção das chaves dos hóspedes e dispositivos compartilhados pelos associados.

A COVID-19 aumentou a consciencialização sobre a importância da limpeza de superfícies pelo que o padrão de limpeza passou a ser ainda mais rigoroso em áreas especificas. Nos quartos e espaços públicos, as superfícies são cuidadosamente tratadas com desinfetantes de nível hospitalar passando a limpeza a ser feita com maior frequência. Também serão colocados lenços desinfetantes em cada quarto para uso pessoal dos hóspedes.

O Centro de Controlo de Doenças e a Organização Mundial de Saúde alertam sobre o contacto físico como principal forma de disseminação do COVID-19. Para ajudar a reduzir o risco de transmissão, a Marriott usará sinalização nos seus lobbies para lembrar os hóspedes para manterem as regras de distanciamento social e remover ou reorganizar os móveis para permitir mais espaço para distanciamento.

A Marriott também está a avaliar a colocação de proteções em acrílico nas mesas bem como restantes equipamentos de proteção e segurança, tais como o uso das máscaras, viseiras e luvas aos associados. Os hotéis estão também a instalar mais pontos com dispensadores de higienização perto da receção, elevadores, salas de reuniões, restaurantes e espaços de fitness. Além disso, em mais de 3200 hotéis da Marriott, os hóspedes podem optar por usar os seus telefones para fazer check-in, aceder aos quartos, fazer pedidos especiais e solicitar serviço de room-service que será especialmente empacotado e entregue diretamente na porta, sem contacto.

No que diz respeito à segurança alimentar, o programa da Marriott inclui diretrizes aprimoradas de saneamento e vídeos de formação para todos os associados operacionais que incluem práticas de higiene e de desinfeção. Na Marriott todas as chefias e supervisores de cada departamento de F&B são esclarecidos e formados em práticas seguras de preparação e serviço de alimentos. As operações de F&B da Marriott são obrigadas a realizar a autoinspeção usando os padrões de segurança alimentar da empresa como diretrizes e na sua conformidade sendo validada por auditorias independentes.

O Lisbon Marriott Hotel, em Portugal não se rege apenas pelo protocolo da Marriott International mas também segue a política de segurança e de higienização lançada pelo Governo e Turismo de Portugal sobre a patente “Clean & Safe” tornando a unidade um lugar seguro para se estar.

“A segurança dos nossos associados e clientes sempre foi uma prioridade para a Marriott e hoje essa discussão está no contexto do tudo o que é possível para recebê-los de volta num ambiente de hotel seguro e limpo quando chegar a hora de viajar novamente.” – acrescenta Elmar Derkitsch, Director Geral do Lisbon Marriott Hotel.

A Fundação AIP, enquanto entidade organizadora da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa que devido à situação mundial que se vive atualmente com a pandemia do COVID-19 e seguindo as recomendações da Direção Geral de Saúde e da Organização Mundial de Saúde, a decisão de cancelar a BTL 2020, que estava prevista realizar-se de 27 a 31 de maio, mas mostra abertura para a realização de um evento de promoção do turismo em Portugal.

Em comunicado a Fundação diz que “após auscultar diferentes parceiros e entidades publicas e privadas do Sector do Turismo concluiu que, face ao cenário evolutivo da pandemia, continuam a não estar reunidas as condições para poder assegurar a realização da BTL 2020. Este evento terá assim lugar apenas em 2021 entre os dias 3 e 7 de março, na FIL.”

Com esta nova data ficam asseguradas as melhores condições para o restabelecimento das dinâmicas geradas pelo maior evento do setor do Turismo em Portugal e de promoção dos principais produtos e serviços que o compõem como para a participação de visitantes e oradores nacionais e internacionais.

“Conscientes do impacto desta decisão, não podemos deixar de agradecer todo o apoio que nos foi manifestado pelos nossos clientes e parceiros ao longos dos anos na afirmação da BTL como o maior e melhor evento de promoção do turismo em Portugal e estamos confiantes, que em conjunto, seremos capazes de ultrapassar as circunstâncias do momento e seremos capazes de realizar, em 2021, uma BTL ainda mais decisiva para a dinamização da promoção e realização de negócios no sector do turismo.”

“A Fundação AIP, manifesta, no entanto, a sua disponibilidade para em conjunto com os entidades a quem incumbe a promoção do Turismo em Portugal, estudar a viabilidade de, ainda no decorrer de 2020, sujeito às condicionantes do quadro legal vigente, organizar um evento dedicado exclusivamente à promoção, suporte e apoio ao Turismo em Portugal que permita minimizar os impactos económicos decorrentes do Covid-19.”

A Marriott International aposta na ajuda ás comunidades ao mesmo tempo que garante que “vamos viajar novamente”. O objetivo é assegurar aos hóspedes que a sua segurança é prioridade e agradecer a quem confia na Marriott e nos seus planos para futuras viagens.

Embora sejam tempos difíceis para todos, o grupo Marriott com mais de 7000 propriedades em 131 países e territórios, tem estado focado em apoiar as comunidades onde os seus associados vivem e trabalham.

A Marriott considera essencial ajudar e fortalecer os profissionais de saúde e prestadores de cuidados, que estão a trabalhar a primeira linha a combater o COVID-19, estabelecendo diferentes programas de ajuda. Com apoio dos parceiros American Express e JP Morgan Chase, comprometeu-se a oferecer estadias o valor de 10 milhões de dólares aos profissionais de saúde a lidar com o combate ao COVID-19 nos E.U.A,onde a empresa é sediada. A iniciativa Rooms for Responders providencia alojamento gratuito a estes profissionais de saúde em algumas das áreas mais impactadas pelo vírus naquele país.

Já através do Commuinity Caregiver Program, disponível nos EUA, Canadá, Caraíbas e América Latina, os hotéis do grupo oferecem tarifas com grandes descontos para estes profissionais que escolham alojar-se em unidades perto dos locais de trabalho nesta fase de combate ao vírus. Embora grade parte das unidades hoteleiras do grupo a nível mundial se encontre de portas fechadas, devido às restrições de viagens associadas à pandemia, a Marriott assegura que os associados
em diferentes pontos do globo encontrem formas de ajudar as comunidades ode se inserem.

Diversas propriedades doaram os produtos alimentares não utilizados das suas cozinhas a instituições de solidariedade, enquanto outros contribuíram com refeições cozinhadas e materiais de limpeza e desinfeção ás autoridades de saúde locais. Em sinal de solidariedade e no que vai tornando uma tendência global, vários hotéis da Marriott International iluminam as suas fachadas com símbolos e mensagem de amor e esperança.

No seu tratamento ao cliente, desde o início que a Marriott International vem flexibilizando as suas políticas de cancelamento. A última atualização a estas políticas faz com que em todas as reservas existentes para qualquer data futura o cliente tenha a oportunidade de gratuitamente alterar ou cancelar a reserva até 24h antes da chegada, desde que estas alterações sejam realizadas até 30 de junho.

Para os membros do programa de fidelização Marriott Bonvoy também há boas novidades. Os estatutos ganhos em 2019 serão prolongados até fevereiro de 2022, enquanto todos os pontos ganhos expirarão apenas a partir de fevereiro 2021, caso a conta esteja inativa há 24 meses. Por outro lado, a Marriott pede aos seus clientes que apoiem diversas associações ativas na resposta ao COVID-19, doando os seus pontos Marriott Bonvoy através da Marriott Bonvoy’s e Giving Plattform.

O ano de 2020 teve um arranque positivo para a Marriott International com um crescimento de 3,2% no RevPAR na Europa e de 3,5% nos EUA nos primeiros dois meses do ano. Naquela altura, a Asia-Pacifico registava já uma quebra de 24,7% no RevPAR. Na China os níveis médios da ocupação eram, a meados de março de 15% o que mostra o início de uma contida melhoria. Enquanto esta região começava a mostrar uma linha ascendente ao ível do negócio, todas as outras regiões mantinham-se numa linha descendente, com a Europa e os EUA a apresentar taxas de ocupação nos 25%.

Assim, a empresa previa um continuar da queda da performance . “Embora não consigamos prever quanto tempo esta crise vai durar, sabemos que passará. E quando passar a procura do alojamento vai recuperar e estamos confiantes que a nossa empresa possui a experiência e recursos necessários para enfrentar esta crise” – acrescenta Arne Sorenson, o Presidente e CEO da Marriott. Embora tenha surgido um número esmagador de cancelamentos para o 1º semeste, a Marriott avança que tal não se verificou aida para o 2º semestre e que muitos dos clientes, principalmente em grupos, estão a tentar reagendar as suas férias.

Ainda assim a companhia está a apostar em planos de mitigação dos impactos operacionais do COVI-19. Tem sido implementados planos de contingência de negócio que têm vindo a ser reajustados, para dar a melhor resposta possível à situação. Foram fechados estabelecimentos de F&B das propriedades, houve redução de staff e pisos ou hotéis inteiros a fechar portas temporariamente.

As renovações de hotéis e equipamentos franchisados agendadas para 2020 foram adiadas por um ano e foram suspensas as auditorias de padrão da marca.

A nível corporativo , os planos de contingência incluem cortes significativos em salários de trabalhadores senior executive, a requisição de licenças temporárias, a redução da carga horária e cancelamento de todas as viagens e gastos não essenciais, incluindo com as estratégias de marketing.

A Marriott International estima que estes cortes reduzam os custos em 140 milhões de dólares, um número que prevê que cresça ao passo que novas medidas vão sendo adoptadas.

A Message in a Bottle, agência de comunicação especializada em Turismo e Lifestyle, irá organizar no próximo dia 1 de maio, às 15h00, a terceira edição das Tourism Talks, desta feita dedicada à Meeting Industry.

Com o nome “Meeting Industry. Fim ou um novo começo?” esta conferência online irá contar com oradores como Diogo Assis, CEO da VOQIN’, Maria João Rocha de Matos, diretora geral da Lisboa Feiras Congressos e Eventos; João Paulo Oliveira, diretor geral da Leading; Jorge Vinha da Silva, CEO do Altice Arena; Miguel Pinto, Travel Executive Officer da LX Travel; Nuno Carvalho, diretor geral da Click and Play; Susana Martins, diretora de vendas e marketing do Corinthia Hotel Lisbon; sendo moderado por Ruben Obadia, fundador da Message in a Bottle.

A Tourism Talk será transmitida em direto no canal de Youtube da Message in a Bottle e o seu acesso é gratuito: https://www.youtube.com/channel/UClNMjypH26ls2vF6gSsFpOg?view_as=subscriber

“Mais uma vez a Message in a Bottle quer estar próximo do setor do Turismo partilhando conteúdos relevantes e discutindo assuntos que sabemos são de extrema importância”, destaca Ruben Obadia, CEO da Message in a Bottle. De acordo com o mesmo responsável, “a importância que a área dos congressos, eventos e incentivos tem para o destino Portugal justificava uma Tourism Talk, até porque a Meeting Industry está mergulhada num mundo de indefinições”.

 

A makro Portugal, no âmbito da pandemia global que estamos a viver devido à evolução do Covid-19, tem vindo a apoiar diversas iniciativas de responsabilidade social que procuram marcar a diferença. Entre as iniciativas apoiadas pela grossista encontra-se o projeto “Alimentar a Saúde”, organizado pelo chef Rui Silvestre, em conjunto com os Chefs Noélia Jerónimo, Vasco Coelho Santos, Rodrigo Castelo, Marco Gomes e a Rede de Emergência Alimentar, que visa distribuir refeições aos mais carenciados a sul, norte e centro do país. Neste projeto a makro Portugal é, maioritariamente, responsável pelo fornecimento de bens alimentares necessários para a confeção das refeições pelos vários chefs, a nível nacional. Esta ação foi estruturada a partir dos Bancos Alimentares, e encontra-se assente em Instituições de Solidariedade Social, Juntas de Freguesia e outras entidades que prestam apoio. A Rede de Emergência Alimentar mobiliza um corpo de voluntários, devidamente protegidos, que em horário e local definidos, realizam o transporte das refeições confecionadas ou dos produtos para os pontos de entrega ou até para casa dos mais frágeis, reduzindo o número de pessoas em circulação, mas garantindo o abastecimento. “Alimentar a Saúde” teve início a 21 de março e, em apenas um mês, já foram distribuídas mais de 11.600 refeiçõesà população mais necessitada, de que são exemplo famílias carenciadas, crianças institucionalizadas, lares e profissionais de saúde, entre outros. “Não é novidade que estamos todos a passar por uma situação altamente instável e imprevisível, algo sem precedentes. Neste sentido, cabe-nos prestar todo o apoio possível à sociedade portuguesa, com especial enfoque naqueles que mais precisam de ajuda. A participação da makro Portugal em iniciativas de responsabilidade social como esta, que marcam a diferença no quotidiano de famílias e profissionais, é também um dos nossos focos. É responsabilidade de todos fazermos mais e melhor. Desde sempre que nos envolvemos com a sociedade e nos encontramos ligados a projetos de cariz social. Neste contexto ainda mais sentido e diferença faz”, explica David Antunes, CEO da Makro Portugal. A makro Portugal apoia também o projeto “É Um Restaurante”, uma iniciativa da Associação Crescer que consiste em dar formação profissional e emprego a pessoas em situação de sem-abrigo, e que todos os dias distribui 200 refeições a pessoas nesta situação, em Lisboa. Outra iniciativa de responsabilidade social que a makro Portugal fez questão de se associar foi a comunidade “Ao seu Lado”, um projeto lançado a 26 de março com o objetivo de ajudar a promover pequenos e médios estabelecimentos alimentares que continuam ativamente a disponibilizar bens alimentares, através de entregas em casa ou de serviços de takeaway. Com mais de 700 estabelecimentos inscritos, a iniciativa “Ao seu Lado” tem como objetivo ajudar os comerciantes aderentes para que estes consigam reduzir os custos operacionais de aquisição de produtos, mas também ajudar as pessoas que utilizam a plataforma. “São milhares os estabelecimentos comerciais e restaurantes a precisar de apoio neste situação complexa que estamos todos a viver, nomeadamente em Portugal. Proativamente apoiamos esta iniciativa como uma solução para ir ao encontro das necessidades dos negócios próprios, tentando minimizar as consequências económicas para os pequenos e médios estabelecimentos alimentares”, explica David Antunes. Como forma de dinamizar a economia nacional, “Ao seu lado” pretende que as pessoas não deixem de recorrer aos restaurantes e ao comércio tradicional, para que estes consigam manter a sustentabilidade do seu negócio. Os estabelecimentos que prestem serviços de takeaway ou façam entregas ao domicílio poderão realizar a sua inscrição na comunidade de forma gratuita. Paralelamente, a empresa colabora ainda com a Refood, Banco Alimentar, Bombeiros, entre outras instituições de Norte a Sul do País.

A Organização Mundial da Saúde criou dois guias de operação para o sector do alojamento e restauração nomeadamente “Operational Considerations for Covid-19 management in the accomodaton sector” e “Covid-19 and food safety: gudance for food business”, que pretendem dar indicações sobre os procedimentos operacionais a ter em conta para o Covid-19 em conjunto com as atualizações que vão sendo indicadas no site da Organização Mundial de Saúde.

O guia indica os procedimentos que os hotéis e todas as unidades de alojamento devem fazer para proteger os seus funcionários e clientes, bem como a ação específica da direção.

No caso do guia para a restauração, este esclarece a falta de evidência da transmissão do vírus através da comida ou das respetivas embalagens, mas alerta para o facto do vírus se manter vivo nas superfícies onde caem as gotículas que o transportam e para a necessidade de observar as mais estritas normas de higiene como a lavagem frequente das mãos.

Os dois documentos, que a ADHP está atualmente a traduzir para incluir nos Manuais de Procedimentos da Hotelaria e Restauração, estão disponíveis nas versões originais aqui.

COVID 19 Accommodation sector

COVID 19 and Food Safety Guidance for Food Business interim guidance

A Makro Portugal acaba de anunciar o alargamento e reforço do seu serviço de entregas (Delivery), que passa agora a estar disponível também para clientes retalhistas alimentares e não alimentares, instituições, associações e fundações (públicas e privadas), empresas e empresários da indústria e serviços e ainda profissionais liberais e por conta própria, durante este período excecional que o país atravessa.

O Serviço de Delivery tem por base o MShop, a loja online da empresa grossista. A aposta passa por alargar esta plataforma digital a todos os clientes, agilizando processos. O serviço de encomenda pelo cliente através da plataforma MShop fica ativo 48h após o registo, com tempo de entrega variável entre 24h e 72h, dependendo do fluxo existente. A entrega está sujeita a valores mínimos de encomenda, a partir de €100, consoante a tipologia de clientes, estando os preços dos produtos sujeitos à taxa aplicada no canal Delivery. O método de pagamento é exclusivamente multibanco.

Acessível através do computador, tablet ou smartphone, o MShop encontra-se disponível nas áreas de abrangência das 10 lojas Makro, em Portugal: Braga, Gondomar, Maia, Matosinhos, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel, Porto, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, Trofa, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia, Coimbra, Leiria, Marinha Grande, Pombal, Batalha, Santarém, Lisboa, Cascais, Oeiras, Amadora, Sintra, Costa da Caparica, Setúbal, Sesimbra, Lagos (Luz, Odiáxere), Portimão (Alvor, Ferragudo), Lagoa, Silves, Albufeira, Faro, Tavira, Olhão, Quinta do Lago, Quarteira, Vilamoura e Almancil.

“Num momento como o que estamos a viver actualmente, alargamos e potenciamos os nossos serviços a toda a tipologia de clientes no sentido de responder eficientemente às necessidades dos nossos clientes e do mercado. Por outro lado, contamos nos próximos dias ter mais novidades no que se refere ao apoio que estamos a desenvolver aos clientes do canal HoReCa. Estamos empenhados em encontrar soluções sustentáveis para as pequenas e médias empresas que, mais do que nunca, necessitam dos seus parceiros habituais”, explica David Antunes, CEO da makro Portugal.

Através do MShop, os clientes Makro terão oportunidade de aceder a grande parte das categorias e respetivos produtos existentes nas lojas da empresa grossista, compor o seu carro de compras digital e solicitar o dia de entrega. De forma rápida e intuitiva, é possível pesquisar os produtos e encontrar novidades com soluções completas desde alimentação, bebidas, utensílios, equipamentos e novas tendências. É possível gerir as encomendas através de listas personalizáveis, estando este serviço disponível 24 horas por dia.

MShop é mais uma ferramenta que a grossista disponibiliza no sentido de facilitar as compras dos seus clientes. Com a crescente aposta no mundo digital, a Makro acompanha a tendência e disponibiliza aos seus clientes um serviço online prático, rápido e simples.

Para saber mais e aceder à MShop visitar: https://entregas.makro.pt/shop ou https://youtu.be/mYwr6jVhZaU

Decorreu esta quinta feira, 2 de abril, a conferência online da ADHP – Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal para debater os efeitos do Covi-19 no Turismo e na Hotelaria. A iniciativa, transmitida em direto no canal de Youtube da ADHP contou com a participação de Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, João Duque, professor do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), António Ceia da Silva, Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, Ana Jacinto Secretária-Geral da AHRESP António Marques Vidal, Presidente da APECATE, Álvaro Covões, Vice-Presidente da APEFE, Raúl Ribeiro Ferreira, Presidente da ADHP e ainda Ruben Obadia, ex-jornalista e diretor da Message in as Bottle como moderador.

De acordo com a Secretária de Estado do Turismo, “a linha de microcrédito lançada pelo Turismo de Portugal para ajudar a financiar salários de pequenas empresas recebeu já 2.500 candidaturas”. Segundo a mesma responsável, esta pandemia vai provocar uma mudança nos hábitos de consumo dos viajantes, que irão procurar destinos onde a segurança – inclusivamente a sanitária – será um novo paradigma”, concluindo que “temos de acreditar que o Turismo vai regressar em força e que será o setor que mais rapidamente vai registar uma retoma”.

“Temos de aprender a viver em ambiente de contágio e mudar o nosso comportamento”, salienta João Duque, que prevê uma quebra do PIB entre os -4,7 a -7,3%: “Tenho expectativa que através de controlo sanitário ou de aprendizagem consigamos começar a recuperar alguma confiança para estimular a atividade económica.”

“Não morremos da doença, morremos da cura.” A afirmação de Ana Jacinto, secretária geral da AHRESP, ilustra bem o quadro negro traçado para a área da restauração e hotelaria. A responsável foi bastante crítica face às medidas de apoio divulgadas pelo Governo que, na sua opinião, apenas servem para aumentar o endividamento dos empresários. “Realizámos um inquérito que já obteve mais de duas mil respostas dos nossos associados e que revela que 75% das empresas estão encerradas e que 58% não só não têm previsão de abertura como planeiam fechar atividade”, declarou.

Já para António Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, o Turismo vai ter de se reinventar e “as pessoas vão procurar, cada vez mais, destinos sustentáveis”.

De acordo com o Presidente da ADHP, esta foi a primeira grande web conferência feita em direto realizada no setor do Turismo em Portugal, sendo uma realidade que mostra a necessidade de rápida adaptação para procurar dar respostas aos empresários e profissionais do setor do Turismo e, especificamente, os da Hotelaria”. Raúl Ribeiro Ferreira salientou ainda que “esta é uma altura em que todos andamos à procura de respostas na mesma medida e que a realidade vai mudando diariamente”, concluindo que “se houve uma altura em que precisámos de todos esse momento é agora. Só juntos vamos vencer esta pandemia que não é só do vírus, mas também é uma pandemia económica”.

Toda a conferência pode ser vista aqui:

https://www.youtube.com/channel/UC91SnYZI_zAwDOlvTmdYFAg?